2 de mar de 2017

O aprendiz.

"Muitos podem lhe mostrar o caminho, mas serão os seus pés que vão levar você por ele."

Somos arrogantes, e nossa arrogância vem sendo cultivada desde muito tempo.
Um indivíduo tomado pela arrogância não é capaz de colaborar, não é capaz de reconhecer seus erros, e errar é o princípio básico da aprendizagem.
Todos somos aprendizes, sempre seremos padawans uns dos outros. No dia em que você sentir que não precisa mais aprender nada, que ninguém pode lhe transmitir nada, este dia é o dia em que você precisa voltar alguns passos em sua jornada e rever seus atos.
Em nosso íntimo somos tomados por uma fome de conhecer, uma verdadeira obsessão pelo novo, somos curiosos por natureza. Nunca lute contra este anseio, por isso viajamos, lemos, assistimos, vivemos... Todos os dias temos novas oportunidades para aprendermos, e os grandes aprendizados são oriundos de erros.
Nós sempre vamos errar e isso é natural, é básico, para qualquer método de aprendizado. Um dos grandes segredos de nossas vidas é exatamente como vamos lidar com nossos erros... Nós somos nossos juízes mais implacáveis, não há justiça mais pesada do que a que somos capazes de nos auto impor.
Saber lidar com nossos erros é algo que se adquire com o tempo, com a experiência, e isso vem com os anos.
Dizia um provérbio chinês que só existem três tipos de pessoa no mundo, a tola, a inteligente e a sábia.
A tola, não aprende e comete sempre os mesmos erros esperando acertar, a inteligente erra e aprende com seu erro e a sábia observa e aprende com o erro de quem observa.
Como aprendizes podemos ser inteligentes e sábios, podemos errar e aprender e também podemos aprender uns com os erros dos outros... Mas nunca, nunca se puna por um erro...
Erros são uma constante da vida, precisamos aceita-los como presentes, presentes estes que nos darão no futuro a oportunidade de fazer o certo é avançar mais um dia em nossas caminhadas.
Ser um Jedi é se dispor a aprender, e portanto errar. Ser um Jedi é acordar todos os dias ciente que não devemos temer o novo, não devemos nos engessar em conceitos ou opiniões.
Ser um Jedi é estar em busca constante pelo conhecimento, é afastar os sentimentos, posturas e pensamentos de soberba, arrogância, superioridade e principalmente medo... O medo é o pior dos nossos inimigos, ele age de dentro para fora.
Ah, e se um dia esquecer de como é ser um aprendiz olhe para uma criança. Observe-a, veja como ela tem o coração e a alma aberta, como aprende com tudo e com todos... Todos nós já fomos crianças.
Mais uma vez peço desculpas pela demora, infelizmente eu tenho um tempo escasso...
Obrigado a todos, e lembrem-se que podem contar comigo, usem o e-mail de contato caso precisem de alguma ajuda.
Um grande abraço.

8 de jan de 2017

O que somos?

"Eu posso lhe mostrar o caminho, mas só você pode andar por ele."

Por muito tempo pensei a respeito de continuar a publicar aqui, devo desculpas a todos que me procuraram e por receio evitei falar sobre.
De fato, as propostas a mim oferecidas me causaram muito medo.
Parei de postar pois em um determinado momento me foram oferecidos meios para "criar" uma seita, este nunca foi meu propósito, e afirmei com veemência que não o faria.
Isso me provocou um profundo pesar pois sempre gostei de escrever, principalmente sobre o jediismo. Me ver com medo de escrever porque terceiros poderiam interpretar meus pensamentos como algo mecânico foi, e tem sido, minha maior âncora.
-O que eu sou? Sinceramente eu não sou ninguém.
Essa foi minha base para fugir de escrever sobre aquilo que eu mais gostava de discutir, filosofia e religião.
Eu me sabotei, por diversas vezes o fiz, ignorei meus anseios, meus desejos e principalmente minha responsabilidade.
Eu me tornei responsável por pessoas que acreditavam em mim e falhei com elas.
Quando comecei a escrever o blog foi mais para passar o tempo, insone na maioria das vezes, mas mais para mim do que para terceiros, por fim me vi respondendo a e-mails e mais e-mails sobre o tema e confesso ter me assustado.
Isso durou o último ano inteiro, pensei muito durante 2016, havia saído de uma série de problemas pessoais e decidi não mais olhar este blog.
Agora eu acho engraçado ter feito isso mas na época parecia ser lógico, se eu não sabia quem eu era como poderia escrever sobre o que eu queria ser...
Eu superei todos os momentos ruins e tenebrosos da minha vida, até o momento. Sofri e me apeguei a coisas muito simples, porém fundamentais, como amigos e família.
Foram dessas pessoas que retirei um pouco do que precisava para continuar e para minha surpresa veio de um amigo muito próximo o comentário que me fez voltar a escrever aqui.
Meses atrás ele me disse "Eu queria ser um Jedi, como você.". Eu fui obrigado a rir, respondi que eu não era um Jedi não tinha um sabre de luz.
A resposta dele me devastou, de verdade, ele disse "você não lia o que escrevia? Um Jedi não se mede por poder, um Jedi é aquele que assume seu papel no mundo e torna-se um guardião da vida."
Eu realmente escrevi e falei isso muitas vezes, sempre que alguém me questionava sobre o que era ser um Jedi, se eu tinha roupas de Jedi ou se eu usava truques mentais como um Jedi... Ele estava certo, eu mesmo me deixei esquecer o que era ser um Jedi. E fiz isso por medo.
Eu escolhi temer, escolhi me recolher, escolhi me afastar para não correr riscos.
Estou errado. Nunca estive tão errado.
Eu esqueci o que eu era, eu sou um Jedi, eu escolhi ser um Jedi.
Eu abracei a ideia de ajudar ao próximo, de melhorar dia após dia, de ter fé na bondade e me alegrar um pouco cada dia da minha vida com a oportunidade de ajudar...
E eu temi ser assim e por isso eu fugi de mim mesmo.
Eu voltei, pretendo não me acovardar mais e a ajudar todos os que precisarem.
As vezes precisamos perder o rumo para que alguém que nos ame nos traga a luz, seja como um farol, para que possamos descobrir quem somos...
Se você passa por isso escute, olhe ao redor, abra seu coração para as opiniões de seus próximos.
Você vai se achar, e vai perceber que seu caminho só você pode trilhar.
Ajude quem precisar, aproveite cada oportunidade que surgir...
E sempre que precisar conte comigo. Eu estarei aqui.

Obrigado a todos que me leram, vocês me ajudaram a ver que o medo realmente nos leva ao lado negro...

Rodrigo Alves Coelho.:

16 de dez de 2015

Dualidade.

"Cada escolha leva a um novo caminho, cada paço molda a jornada"


A natureza dualista da Força é sempre comentada na saga de Star Wars.
Ela parte de um princípio muito comum em filosofias orientais de que Bem e Mal são perspectivas e não verdades absolutas.
Tal dualidade é muito expressiva no Taoismo e no Zen Budismo.
Porém a questão dualista relacionada a Força abrange princípios maiores do que as questões morais e avança sobre o campo espiritual, principalmente nas correlações entre as doutrinas Jedi e Sith,
Ambos os sistemas doutrinários estabelecem profunda relação com a Força, sendo os Jedi adeptos de uma realidade mais metafísica e os Sith de uma realidade mais concreta quanto a exploração da Força.
Sim, o termo que usei "explorar" é perfeitamente cabível aqui. Pode soar muito estranho mas vamos analisar.
Enquanto o cânone Jedi usa a força como um aspecto puramente divino, um caminho espiritual a ser trilhado em busca de uma "imortalidade imaterial", os Sith se atem ao aspecto mais concreto, o poder que flui pela Força e sua utilização para a supremacia.
Aqui reside nosso maior desafio, não são os aspectos inerentes ao dualismo e sim a natureza humana.
Quando escolhemos um caminho por muitas vezes o escolhemos no ímpeto, sem analisarmos seus desdobramentos e principalmente sem pensarmos em sua continuidade.
É fácil encararmos o mundo que nos cerca com conjuntos morais específicos e que, em muitos casos, petrificamos para tornar nossa tarefa mais conveniente.
A grande questão moral do caminho Jediísta sempre foi a violência, ela é claramente uma característica que leva ao lado negro da Força pelo simples fato de exercer poder sobre terceiros ou, em último caso, cercear a vida de outros.
Os dilemas dualistas sempre estarão presentes em nossas vidas, cabe a nós escolhermos como compreender a natureza de quem somos, o que somos e porque vivemos. 
Escolhas são sempre necessárias, quase todas as suas decisões vão levar em consideração algum aspecto da natureza dualista do universo, quase todos os dias você enfrentará questões que irão aos poucos moldar a sua forma de enxergar o mundo.
Independente de como decidimos viver nossa natureza é dualista e sempre seremos convidados a experimentar decisões cada vez mais difíceis com relação a outros seres humanos.
Minha dica é que evitemos os caminhos fáceis e tentemos sempre afastar certos sentimentos de nossos corações.
Inveja, egoísmo, orgulho, vaidade e principalmente desprezo são os caminhos mais curtos para uma vida de afastamento e negatividade. Evite cultivar tais sentimentos e principalmente evite os colocar em evidência em suas decisões diárias... 
Busque pensar com carinho, refletir com paciência, olhar com respeito...
Tente sorrir sempre que possível, tome decisões em momentos de paz e jamais deixe se levar pela aparência, dificilmente alguém é somente o que seu olhos são capazes de ver.
Tente sentir mais do que ver, fale menos e escute mais, use o tempo a seu favor e nunca avalie antes de chegar a uma conclusão da real necessidade dessa ou daquela escolha.
Lembre se, nosso mundo é dualista, vivemos entre uma realidade concreta e outra abstrata, entre o físico e o espiritual... não se apegue a nenhum dos dois e trilhe seu caminho buscando viver em harmonia e paz consigo mesmo.   





15 de dez de 2015

Sinceras desculpas...

Esta postagem não tem pretensão de ser um retorno, é um pedido de desculpas a todos que em algum momento leram algo que escrevi aqui.
Creio em tudo que escrevi, algumas opiniões são até mesmo exageradas e realmente sinto muito por ter deixado de lado este blog.
Recentemente um senhor chamado André Bernardo me contatou sobre uma inciativa que tive a muitos chamada "Pilar" e isso me fez revisitar este pequeno blog.
Não tinha, nunca tive, pretensões de que o que eu escrevesse aqui pudesse de alguma forma influenciar ou a ajudar alguém, de fato era mais um exercício para mim, tanto que mal revisava o que escrevia...
Devido a este contato revisitei o blog e notei duas respostas recentes que pediam para que eu voltasse a escrever, infelizmente não tenho muito tempo e me afastei dos estudos sobre a filosofia em geral.
Minhas desculpas hoje são para todos os que leram e gostaram, é para todos aqueles que esperaram algo mais que não pude suprir.
Eu quero ser muito sincero com todos vocês que em algum momento estiveram aqui e passaram os olhos pelas palavras aqui escritas, não tenho pretensões de voltar a escrever... mas vou tentar.
Eu não tenho muito tempo e todo meu tempo livre mas prometo que vou tentar escrever nem que sejam poucas palavras.

"Bendito é aquele que se arrepende,
este ganha a chance de corrigir seus passos."

24 de jul de 2013

A longa Jornada.


"Eis que vislumbro meu caminho.
Parece simples porém sei que não o é.
Me faltará fé, me faltará ânimo, me faltará ajuda...
Só não me faltará luz, a Força me guia."


A longa jornada é o período temporal que compreendemos como vida.
O destino de toda jornada é único, todos um dia atravessaremos a fronteira espiritual que separa nosso mundo dos domínios espirituais.
Alguns creem em paraísos que alcançarão por um sistema de meritocracia, porém pessoalmente eu acredito que não há mérito maior do que a caridade.
Em certo momento, em algum livro, um homem especialmente sábio e tocado pelo altíssimo disse "Não há salvação fora da caridade". Este homem foi Chico Xavier, um médium brasileiro que viveu dentro da realidade mais próxima ao ideal cristão que eu posso imaginar.
Outros grandes missionários estiveram entre nós e tivemos a grande chance de observar essa máxima, sejamos caridosos em nossa longa jornada.

Nenhuma vida será exclusivamente feliz ou triste, tenha em mente que todos nós vamos oscilar entre esses "estados" da vida.
Não perca tempo atribuindo culpa a alguém, a um Deus ou ao destino, ninguém é culpado pelo que acontece de bom ou ruim em nossa jornada. Observe e analise a cada momento que vives, irá tirar lições importantes ao longo de toda a sua vida e irá aprender com toda a certeza que mesmo nos momentos mais felizes vivemos provações muito sérias.
Essas provações não vão lhe garantir o "céu" e nem lhe atirar num "inferno", esses estados são construídos por nossas ações pessoais e mesmo eles não são eternos.
Nossa natureza sempre será de buscar explicações, certezas, isso não é ruim. Mantenha em mente que toda busca é saudável desde que você saiba as consequências dela. Estudar a Força pode lhe levar ao bem ou ao mal, essa é a natureza dualista do ser humano, bem e mal residem em nós... nós é quem optamos qual caminho seguir.
A longa jornada é e sempre será seu grande teste, nosso grande teste, pois ninguém consegue se isolar completamente seja dos homens ou do planeta, nossas vidas estão intrinsecamente ligadas umas as outras... não perca a oportunidade de ser caridoso, as vezes tudo o que alguém necessita é de seus ouvidos, seus olhos e um pouquinho da sua voz.

Que a Força esteja com vocês.    

15 de jul de 2013

Sobre os caminhos da Força.

"A verdade que buscas não encontrará vinda de ninguém a não ser de você mesmo,só você se conhece, só você sabe a verdade que necessitas...olhe para dentro de si mesmo e aprenda."

Comumente lemos sobre os Sith, aqueles que aderiram ao "lado negro" da Força e sobre os Jedi, aqueles que seguem "a luz" da Força.
Os que seguem a Força não se limitam a esses dois grupos. Assim como em nosso mundo existem muitos os que buscam Deus ou Deuses, assim também o é dentro da saga.
Esse é um paralelo interessante, há aqui uma sabedoria não sobre a origem do bem ou do mal e nem sobre o que é certo ou errado. Aqui encontramos uma resposta muito significativa para a vida.
"Não há um caminho certo, há aquele que você deve escolher."

Os Sith são comumente associados ao mal mas não é esse o ponto, eles buscam o poder por meio da paixão e da força bruta. Os sith buscam a supremacia e não a coexistência e não respeitam outras perspectivas.
Para um sith só há a vitória por meio da submissão, este é um caminho obscuro pois nem sempre o que pregamos, até para nós mesmos, é a verdade. É muito comum nos iludirmos ou deixamo-nos iludir por conhecimentos mais rápidos, fáceis ou "legítimos/tradicionais".
Um Jedi busca o equilíbrio, tentando não interferir no aprendizado pessoal de cada um e buscando auxiliar sempre que é procurado.
A busca de um Jedi para com a Força é como trilhar um caminho nebuloso, precisa ser feito com paciência e calma... tudo tem seu tempo e sua hora e a Força é seu guia.

Esses não são os únicos caminhos para a Força.
A Força se manifesta em tudo e em todos, observa e analisa tudo ao seu redor.
Podemos enxergar um universo inteiro em nós mesmos ou nunca descobrirmos o que queremos, tudo vai depender de sabermos ver e escutar.
Podemos sim forçar essas compreensões, conquista-las ou aparentar que as conquistamos... mas isso seria enganar-nos com nossas próprias palavras.
Busca em ti e em tudo a sua volta o que precisa para se edificar, busque ajuda quando for necessário porém mantenha-se vigilante para com aqueles que não partilham seus ideais.

Uma dica pessoal, nunca deixe a paz lhe faltar... a paz sempre será uma boa conselheira.

Que a Força esteja sempre com vocês.

7 de jul de 2013

O Pilar da Fé.

"Não desejo nada de ti, apenas coragem.
Coragem para defender a quem não posso...
Coragem para ser mais do que é...
Coragem para se arrepender quando um erro cometer...
Coragem para perdoar aquele que lhe julgou...
e principalmente coragem para ensinar tudo aquilo que aprendeu...
Creia em mim assim como creio em você."

A alguns anos eu deixe de escrever, não foi por mal maior do que a própria negligência.
Negligência essa que se espelha em mim hoje, espero conseguir escrever novamente aqui e de forma constante dessa vez.
Escolhi o pilar da Fé para retornar a escrever simplesmente por não ter mais ele. Descobri que não basta crer na Força, não basta usar como guia a Fé que deposito nela... a Fé que precisamos é aquela que depositamos em nós mesmos.
As vezes entregamos as decisões que precisamos tomar nas mãos do destino, ou da Fé que desenvolvemos em algo divino. A presença desse fator divido é constante, independente do credo que tenha você já sentiu a presença sobrenatural da sua crença... ela é um fato, nunca duvide disso, não importa o que siga. Porém, por maior que seja nossa Fé em algo ela é inútil se não temos Fé em nós mesmos... somos nós que operamos as mudanças, primeiro em nós mesmos e depois no universo ao redor.
Podemos ser motivados, elevados e até mesmo guiados por nossas crenças e pela presença indubitável de nossos Deuses particulares mas é nossa Fé em nós mesmos que irá ser o fator crucial entre nosso sucesso ou nosso fracasso.
Cultive sua Fé, cultive a em seu coração, o primeiro passo para ir adiante e além é dado por você... tenha Fé em si, tenha Fé em sua capacidade de agir. O pilar da Fé é edificado com paciência, estudo e principalmente serviço... sirva ao bem e dedique-se a bons pensamentos.
Aprenda a olhar com os olhos de terceiros e não com o seu próprio olhar, você aprenderá muito com isso. Não julgue, não conjecture, não suponha... apenas escute seu coração e deixe a Fé que depositou em você mesmo guiar seus passos.

Que a Força esteja com você e que a alegria permeie seu coração.

23 de out de 2011

O pilar da sabedoria.

"Para ganhar conhecimento, adicione coisas todos os dias. Para ganhar sabedoria, elimine coisas todos os dias." Lao-Tsé.

O segundo pilar que apresento é o da sabedoria. Aqui nestas linhas não falaremos de inteligência ou esperteza e sim da sabedoria prática, aquela que devemos nutrir com a finalidade de agir corretamente.
O pilar da sabedoria para um Jedi não é o caminho para o orgulho, e sim o caminho para a humildade.

A sabedoria que buscas não irá iluminar a si ou lhe indicar o caminho a seguir, vai sim motiva lo a continuar.
Quando a Fé lhe faltar ou quando todos os obstáculos parecem intransponíveis usa a!
Confia no teu julgamento seguindo sempre os princípos da vida, do amor e da humanidade.

A sabedoria ques buscas virá da observação, escuta a todos e fale somente aqueles que precisam ouvir e nunca, nunca, julgue que a sua opinião é única.

Frequentemente nossos corações serão desertos de sentimentos, veremo nos caminhar para encastelar nos, protejendo nos, pensando que assim evitaremos que sejamos feridos, não há sabedoria em se fechar ao mundo assim como não há sabedoria em desperdiçar seu tempo com sentimentos amargos.

Sábio é aquele que aprendeu a andar só e vigilante, mas sem se afastar dos seus, pronto para agir quando necessário e pronto para permitir que aprensa sempre com seus próprios erros.
Errar não significa que sua sabedoria falhou e sim que essa é a portunidade para se reavaliar, não tema em errar, tema não fazer.

Tenha fé em você e nas suas decisões, afaste as dúvidas que vier a ter usando sua fé na Força, em você e na sua sabedoria. Use sempre o máximo do que aprendeu, molde seu conhecimento e separe oque pode ser útil do que definitivamente não pode ser.

Deixe aque a sabedoria lhe guie, provavelmente estará no caminho certo, e quando não estiver ela lhe servira de escudo e alerta. Use a sempre que precisar.

13 de out de 2011

O lado Negro.

"You're the mystical old bard
on your journey through the dark" Trecho de Jouney Through the dark - Blind Guardian.

Entender a nossa dualidade, bem e mal, é extremamente necessário.
Não só para que possamos entender o nosso mundo mas também para que possamos prever o comportamento humano.

Os conceitos de bem e mal são complexos, como diz o velho chavão " de boas intenções o inferno esta cheio". Como conceituar o mal para quem o desconhece ou o bem para quem só conhece o mal? Como compreender bem e mal sem observa-los?

Bem e mal são conceitos abstratos baseados em nossas convenções culturais, para saxões do início da idade média matar e destruir era um direito, para os romanos paz estava ligada a expansão de suas fronteiras a base da conquista e por muitas vezes usando o estupro como uma arma moral. Dentro de ambas as sociedades tais práticas não eram imorais ou maléficas e sim apenas uma "política".

Estabelecer os conceitos de bem e mal é o princípio para um Jedi, é seu pilar mais fundamental, ele sempre será guiado inicialmente pelos conceitos sociais mais próximos a nós porém é nosso dever deixar que nosso horizonte jamais seja restrito por preconceitos inerentes aos nossos conceitos culturais...

Para alguns grupos religiosos certos aspectos em relação a opções sexuais são consideradas "más" ou fruto de forças malígnas, porém isso não é verdade... muçulmanos e cristãos mórmons são adeptos da poligamia, para muitos isso é considerado imoral porém culturalmente dentro dos padrões de normalidade para esses dois grupos.

Só podemos compreender aquilo que observamos sem pré conceber conceitos de bem e mal, nossa jornada através do lado Negro é fundamental para nos compreendermos, conhecer nosso inimigo interno é preparar se para jamais temer inimigos externos.
Só nos conhecemos de verdade quando encaramos o abismo que há em nossas almas e compreendemos que no fim somos animais, sem distinção de lobos ou cavalos, somos maquinas biológicas com rotinas pré definidas para sustentarmos nossas vidas, porém, somos dotados de consciência... analise sua vida, encare o que você compreende que tenha feito de bem ou mal para seus semelhantes e esteja disposto a se perdoar... pois só neste momento estará apto a ser um ser humano melhor...

Para muitos, somos feitos a imagem e semelhança de Deus, só encarando esta verdade podemos compreender que somos realmente responsáveis pelo que fazemos, no fim, para os que acreditam, somos as mãos, olhos e ouvidos de Deus.

O lado negro, a escuridão de nossas almas, serve a um único propósito... forja mo nos para o próximo dia, enfrente-a e não a culpe pelos seus erros... olhe diretamente para o abismo e desafie o a ser melhor que você.

Que a Força acompanhe a todos.

3 de out de 2011

Tempo.

"Tempo é a grandeza física diretamente associada ao sequenciamento, mediante ordem de ocorrência, de eventos coincidentes - eventos estes sempre observados a partir da origem do referencial para o qual se define o tempo."

Passado um ano eu decidi retornar a escrever, devo algumas explicações para os poucos que lêem ou leram um dia o blog.
Este tempo me foi necessário para reavaliar algumas posturas, curar me de algumas feridas e me reorganizar.
Eu não tinha pretensões de que o blog fosse lido por muitas pessoas, basicamente ele seria um exercício pessoal, como um diário ou algo para ajudar me a desenvolver um argumento sobre o jediísmo. No entanto algumas pessoas leram o blog e eu parei de escrever quando alguns começaram a me mandar email's, uns engraçados, outros raivosos e muitos em tom preocupante.
Eu decidi repensar algumas coisas antes de voltar a escrever, decidi que pararia por um mês e voltaria a escrever... o mês passou e eu decidi ficar sem escrever mais tempo, e o tempo passou... estudei sobre o zen budismo mais afundo, li textos islâmicos, aprofundei me mais naquilo que eu pouco conhecia. E passou se um ano, um ano de algumas mudanças pessoais, de escolhas equivocadas e de muita reflexão.
Descobri que não vivemos em um mundo tão simples como acreditava e decidi voltar a escrever por isso.
Descobri que no âmago do jediísmo, que creio agora ser meu caminho, existe um ensinamento muito simples e que nem sempre é observado: " O tempo não falta nem sobra, ele sempre oferece a medida que você pode usar e não a que você quer usar."

Pode soar estranha essa frase porém ela é uma lição que precisar ser aprendida, significa que não temos como apressar nada, nem postegar nada, tudo ocorrerá no momento certo quando estivermos preparados...
O tempo é a dimensão que não podemos manipular e portanto estamos sujeitos as suas ações.

Podemos aprender muito com o tempo, observando principalmente como nós o utilizamos e como as outras pessoas se servem dele. Muitos são os momentos nos quais o tempo nos fala, ele testa nossa paciência, molda nossas perspectivas e em geral nos disciplina.

O tempo no fim pode ser seu aliado, seu inimigo ou seu mediador. Aprenda a observa lo, a usa lo como ferramenta e não como uma faca no seu pescoço.

Deixe o tempo agir na sua vida e lhe ensinar tudo o que ele pode oferecer.