8 de jan de 2009

Inicio.



Alguns anos atrás observei uma noticia na net dizendo que no Reino Unido cerca de 390.000 declaravam se Jediístas, quando a pergunta era referente a qual religião eram adeptos, em um senso. Fazendo assim do Jediísmo a quarta maior "religião" do Reino Unido.

Este fato mostrou se real, porém fora orquestrado por fãs de Guerra nas Estrelas.

Comecei aos poucos a ler sobre tal assunto e vi que na verdade o Jediísmo que eles pregavam eram um conjunto de meias verdades baseadas na saga de Star War.

Minha iniciativa surgiu como uma brincadeira a fim de provar pra mim mesmo que a sandice que aquelas pessoas proferiam eram de fato apenas sandice.

Como fã de Star War via no ideal Jedi uma bela metáfora que unia, em sua mítica, características de grandes ordens medievais presentes na historia do ocidente como a "Ordem dos Pobres Cavaleiros de Jesus Cristo e do Templo de Salomão", os Templários, bem como as mesmas características presentes no Bushido.

Por meses pesquisei sobre a obra de fantasia espacial.
Busquei por trás da fábula algo que explicasse, além é claro das características heróicas, o fascínio exercido por esses personagens. E encontrei.

Não há segredo por trás da estória aplicada a estes personagens, eles são um agregado de virtudes e falhas presentes em todos os heróis que por acaso surgiram na história da Terra.

Analisando os livros que compõe a série, e não são poucos, os filmes, revistas em quadrinhos, e até o argumento usado para compor cada Jedi percebi que os autores, não foi apenas o Sr.Lucas que criou os argumentos dos personagens Jedis, possuíam embasamento teológico, filosófico e histórico.

Por muito tempo fiquei a pensar em como viveria um homem que baseava sua vida nos princípios da ordem Jedi que são:

Não há emoção, há paz.
Não há ignorância, há conhecimento.
Não há paixão, há serenidade.
Não há caos, há harmonia.
Não há morte, há a Força.

Uma simples analise deste pequeno e sintético código pode indicar um norte para este caminho.

"Não há emoção, há paz”.- Basear seu julgamento em emoções só distância o de uma resolução justa, cultive a paz em sua mente e seu discernimento da verdade e justiça será seu guia para suas decisões.

"Não há ignorância, há conhecimento". - Para alguns a ignorância é pregada como uma benção, não creia nisto. Ignorar algo significa abrir mão de sua escolha, é dever estar ciente dos fatos para lhes aplicar um julgamento correto, a busca pelo conhecimento liberta o de quaisquer manipulações.
O conhecimento é não só seu aliado como sua ferramenta para a liberdade.

"Não há paixão, há serenidade". - Evitar agir motivado pela paixão, pois a mesma nos conduz a um caminho sem preparação, movidos pela mesma somos compelidos a tomar atitudes sem pensar. Mantenha sua mente serena e livre de preconceitos ou desejos, não é errado agir com paixão e sim imprudente.

"Não há caos, há harmonia". - Diariamente somos envoltos em um caos intermitente e perene, fruto de nosso mundo muitas vezes manipulado apenas para atender realidades de consumo e pseudo-aceitação. Deixar se envolver por esse caos é o princípio da perdição, para evitar isso mantenha sua mente e seu corpo em harmonia, lembre se que muitos procuram em seus olhos a harmonia que eles mesmos não possuem. É extremamente difícil manter se harmonizado em meio ao caos, por isso mantenha se atento ao seu próprio caos, ninguém está livre disso.

"Não há morte, há a Força”.- Como ocidentais somos ensinados a temer a morte, ela representa o fim, porém isso é uma meia verdade, não há o que temer na morte ela é parte da vida, é o fim de um ciclo, destino de todos nós. Esteja ciente que a morte significa retornar ao criador, a Deus, a Força. Tudo faz parte deste ciclo, morrer não deve ser um temor e tão pouco um anseio, apenas uma certeza. Esteja certo que voltará a Força e esteja disposto a viver em plenitude para justificar a honra de viver.

Obviamente minha interpretação do código não é única e tão pouco pétrea.
Creio que esta é a síntese mais próxima da realidade que eu busco uma vida, plena, caridosa e em serviço de todos os seres.

Eu sinceramente creio nisso, e sei que algumas pessoas vão me criticar por adotar esta filosofia, "algo vindo de um mundo de fantasia extrema não pode gerar um pensamento que possa ser aplicado à realidade", isso já me foi dito antes, mas eu discordo.

Discordando de como o clero católico vivia, Bernardo de Clairvaux fundou Cluny.
Claro que o pensamento medieval dele era imbuído de muitas falhas, principalmente em relação ao humanismo, mas era algo inerente a época de sua passagem pela Terra.

Eu discordo da forma como muitos pensam, não posso fundar um mosteiro, mas posso expor meu pensamento aqui, e assim o faço.
Pouco a pouco irei alimentar está pagina com alguns textos em formato de pensamentos livres, apenas como ferramenta de diálogo para futuros leitores e a fim de testar minhas próprias convicções para amadurecer meu pensamento.

Obrigado antes de tudo a aqueles que visitarem e dialogarem comigo.

7 comentários:

  1. Bem sinceramente eu tambem acredito na filosofia Jedi bem com a filosofia jedi o mundo seria melhor no futuroa galera pensando antes de agir bem sem ignorancia e procanseito o mundo seria melhor...

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pelo comentário... sim, creio que você está correto, eu também penso assim...

    ResponderExcluir
  3. Parabénss concordo com vcs!!!
    o mundo seria bem melhor se as pessoas, usassem o Jediismo, como filosofia de vida!!

    ResponderExcluir
  4. Acredito que toda base religiosa, culto, doutrina, ou filosofia de vida...deve ser uma usada como um "norte"...um caminho...e nao interpretado literalmente.

    Portanto por que então a filosfia Jedi, nçao pode ser seguida?

    Achar que ela é absurda, porque?
    Por ser ficção?

    Bem...mas é uma ficção baseada nos ideais, e filosofias de outros cavalheiros e pensadores da nossa história.

    Ai entra um ponto importante...
    ...toda a história que conhecemos (inclusive religiosa)...é baseada em relatos passados verbalmente de geração em geração...até que finalmente foram registrada na forma escrita.

    E como sabemos...quem conta uma história, sempre aumenta ou altera alguma coisa.

    Isso tambem nao se enquadra em ficção?

    O que importa é o "caminho" que voce resolva trilhar baseado no exemplo ou filosofia que voce escolher.

    Por isso, eu que tenho no momento 34 anos, tenho orgulho de afimar que me considero um Cavalheiro Jedi desde os 12 anos, na base da sua filosfia de vida.

    Parabens pela sua iniciativa.

    Vou continar te acompanhando.

    Que a Força esteja sempre com voce!!!

    kaducuiaba@gmail.com

    ResponderExcluir
  5. Eu acho, também concordo
    que todos devem seguir um caminho a
    seguir e crer.
    Como toda religião, filosofia ou
    qualquer tipo de segmento, existe
    seus críticos e seguidores.
    se pararmos para analisar
    de onde saio os contextos
    das grandes religiões se não
    de uma teoria tirada de algum lugar.
    o fato é que as pessoas ainda tem
    a visão pequena, e não aceitam o novo
    como caminho ou causa, colocando defeitos
    e erros no que acabou de surgir.
    como o próprio cristianismo
    foi adotado por Roma anos depois
    a morte de cristo, como meio
    de se defender da plebe,que no caso
    continha um grande numero
    de seguidores ( grande ironia
    pelo passado romano com o cristianismo).
    algum dia as novas crenças e meios
    seram adotados num futuro próximo

    Que a força esteja com voces!

    ResponderExcluir
  6. Sábias palavras e bem colocadas. Na realidade muitas crenças ou religiões não passam de crenças ou religiões já que não se pode provar a respeito, mas creio que a maior filosofia de vida, crença e religião é esta que está dentro de cada um de nós e em todo o universo. Esta verdade que é incontestável e nos faz ver e poder coisas que vão além de qualquer horizonte. E alienado a esta grande verdade está a ação de, através desta força que é esta verdade, ajudar e amar de forma incondicional. Isto sim, para mim, é sabedoria, religião, verdade e A Força.

    ResponderExcluir